.posts recentes

. RUMO AO SEGUNDO TURNO!!

. VIVA!! GERALDO PRESIDENTE...

. “Minha pátria é como se ...

. Uma pausa...

. A doença de Fidel Castro

. Que a taça seja de Portug...

. Cultura

. Gosto muito

. Quem rouba mais?

. PCC X PM

.arquivos

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

Quinta-feira, 23 de Março de 2006

Coisas do Brasil

Publicitário paulista desvenda mistério da propaganda indesejada


 

SÃO PAULO - Um publicitário de São Paulo parece ter encontrado a resposta para um mistério irritante. Ele descobriu como tantas empresas conseguem descobrir seu endereço e enviar milhares de correspondências indesejadas. Ao inventar um código e um endereço de email, chegou ao responsável pelo vazamento das informações - a Receita Federal.

Desconfiado, Aílton Tenório da Silva começou a investigar ao enviar a sua declaração de imposto de renda de 2003. Ele acrescentou as letras 'B', 'I' e 'R' ao seu endereço e criou também um endereço eletrônico exclusivo, pelo qual deveria receber toda e qualquer correspondência da Receita Federal.

O que era uma simples suspeita virou confirmação.

- Houve um vazamento, não duvida nenhuma disso. E veio de lá - afirma Aílton.

A confirmação veio quando um dia o publicitário recebeu em casa uma oferta de cartão de crédito. O banco enviou a proposta para o endereço só fornecido à Receita Federal.

Também a caixa postal criada exclusivamente para Receita Federal foi vazada e se encheu de propagandas diversas, de revistas a pacotes de turismo e propostas de emprego.

- Se saiu de dentro da Receita Federal meu endereço e a minha conta de email, podem ter saído também os meus dados financeiros, pessoais, qualquer outra coisa - suspeita Aílton.

No centro de São Paulo, esses dados são mercadoria valiosa. Não é difícil encontrar CDs com os chamados 'mailing list' pelas badaladas ruas de comércio popular do centro. Nas banquinhas de camelôs nas calçadas, um CD pode chegar a R$ 100.

Um vendedor explicou à reportagem do Jornal Nacional o que o comprador encontra quando abrir o CD com os dados de 2004 do contribuinte:

- Aparece nome, endereço, bairro, CEP, telefone e CPF, cidade e estado - disse ele, sem saber que estava sendo gravado.

Quem trabalha no ramo admite: o negócio é arriscado.

- Isso aí é proibido, meu. Você sabe que é proibido isso aí, né? - diz outro ambulante, também sem desconfiar da filmagem.

 

Jornal Nacional

Fonte: Globo em 23 de março de 2006

sinto-me: diabinha
publicado por vera lúcia às 21:38
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De -=tëtê=- a 25 de Março de 2006 às 23:15
Menina...aqui no BR parece que quanto mais proibido mais eles fazem...Bom final de semana!

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.as minhas fotos

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds